terça-feira, 29 de julho de 2014

Essa crise de choro outra vez...


Quando comecei esse blog, inicialmente, meu diagnóstico era depressão moderada e ansiedade generalizada. Eu sabia que havia algo de muito diferente comigo, mas não entendia o que. Ao final de 2014 foi confirmada que todos meus sintomas e graves crises, na verdade, eram parte do que a psiquiatria chama de transtorno da personalidade borderline e, enfim, a partir de 2015 eu pude encontrar o tratamento correto


Hoje é dia do #diaruim. Aquele dia que você está mal pra caramba, chora o dia todo, oscila entre raiva e tristeza, culpa e autopunição e o dia não parece tão bonito quanto ontem. A única vontade que você tem é ficar deitado o dia inteiro. 

Entendam, que eu me curei de uma compulsão por mentir, foi só isso, eu não me curei da depressão, apesar de acreditar na cura. Há alguns meses atrás eu estive a ponto de ser internada em um hospital psiquiátrico por que minha depressão estava em um estágio gravíssimo. Eu tive três semana maravilhosas, em que eu passei por estresses e maus bocados sem maiores consequências, mas hoje...ah hoje ela voltou muito forte. Eu gritei com quem não devia, ameacei pessoas, falei coisas que não deveria e depois chorei litros por sentir muita culpa. Não tenho forças para levantar, nem fome, nem nada, eu pareço um espaço vazio... quer dizer, um espaço cheio de dor.

Descobrir que tenho problemas com dinheiro e ao mesmo tempo que meu diagnóstico pode estar muito errado, me desequilibraram. Eu não me preparei pra isso. Quanto mais fundo eu mergulho no meu inconsciente, mais coisas que eu ignorava me são apresentadas e nem sempre são coisas boas. Meu lado obscuro... Meu lado que eu reprimo... 

Hoje eu só penso em chorar e chorar. Não quero me machucar, nem morrer, só chorar. Gritar. Tentar entender porque essa dor não pára. Ao mesmo tempo sei que só eu posso pará-la de alguma forma que eu ainda não descobri. Meditar de pouco adiantou. Minha mente cansou. Meu corpo também. 

Eu queria poder dizer que estou indo cada dia melhor e falar algo para colocar vocês pra cima, mas não é o que estou sentindo agora. Não me sinto um fracasso, aceito que tem dias ruins, e os vivo, mesmo que doa. Eu sou durona, não sou? Nem tanto... eu choro por muitas coisas, e uma delas é a depressão, meu passado, meus problemas, todos MEUS, minha responsabilidade. A vida é algo lindo de se viver, mas ás vezes é muito complicadinha. 

3 comentários:

  1. Eu te entendo tenho e passo por dias assim, dias em que a única vontade é sumir ... desaparecer, ir pra onde nada nem ninguém perturbe, nem ameace a minha segurança, como se realmente tivesse alguém me ameaçando ...

    Loucura, viver com essa doença (depressão) não é fácil, pois só a entende quem a tem ou ja teve, os outros nem sequer desconfiam do que seja viver isso.

    Mas vida que segue, sempre haverá um novo dia ... uma nova possibilidade de sorrir novamente ... e assim vamos nós, entre altos e baixos rsrs

    Leio sempre a frase de Chico Xavier, "Tudo passa e isso também vai passar" e assim me consolo ..

    Bjks pra ti guria, té ...
    My

    ResponderExcluir
  2. Fiquei feliz por encontrar esse blog , sinto tudo isso a cima !
    Queria que me ajudasse sou muito ansiosa , sou muito chata e só trato as pessoas mal , os meus filhos reclamam que sou chata inguinorante , não consigo conter a irritabilidade . Oq faço ?

    ResponderExcluir
  3. Tomei rivotril 2 mg por 7 anos, e estou fazendo o desmame. Faz 1 semana q passei p o de 1 mg, e estou c vários sintomas. Muita tontura, as vezes acho q vou cair, minha cabeça tá pesada, vontade de ficar só na cama dormindo, um baita sono, um grande cansaco, taquicardia e muita ansiedade. Pelos relatos q li Aki, meus sintomas de abstinência estão dentro doque a falta deste remédio proporciona. Não vai ser fácil. Mas preciso tentar, já consegui me livrar de outros remédios bem fortes, como o risperidona 4 mg, Foram 7 meses, para ficar livre dos sintomas de abstinência. Mas consegui. E foi na segunda tentativa. Outro bloqueador de emoções. Fiquei 7 anos sem chorar. Meu pai morreu, não consegui derrubar uma lágrima. Tenho sérios problemas de concentração, memória, sim, me sinto um zumbi e kero voltar a ser quem eu era, mas sem minha doença. Força a todos q estão nessa luta..não desistam.

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para comentar, apenas não seja grosseiro.
Se quiser me escrever, envie e-mail para blogenlouqueser@gmail.com , mensagens hostis/sem propósito não serão respondidas.

Pesquisar este blog