segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

A coragem de recomeçar

Google Imagens

A "Organização Mundial da Saúde" (OMS) define a saúde como um completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afecções e enfermidades.

Você pode achar um absurdo, mas há quem vá contra esse conceito por achá-lo utópico e irreal (procura no Google que você acha). Mas eu não. Sei que o ser humano é insatisfeito por natureza, mas temos alguns exemplos de pessoas que, ao que a história nos conta, estiveram neste estado de completo bem-estar (Gautama, o Buda; Osho; e várias pessoas comuns que dizem terem encontrado esse estado de plenitude mesmo em meio a correria do dia-a-dia). Eu sou esperançosa por natureza e teimosa porque o DSM diz que eu tenho personalidade borderline. Mas eu gosto disso. Gosto de ser teimosa, de ser hipersensível, de saber o que eu não gosto e de falar o que eu penso mesmo com medo do que vão dizer. 

Eu estava prestes a desistir da minha vida por causa do meu trabalho. Sim, isso é uma revelação. Muitos irão se chocar, outros irão me julgar, mas eu não ligo mais. Eu estava morrendo aos poucos e se não fosse minha família, reais amigos, minha terapeuta-anjo e meu companheiro, eu jamais teria visto o que vejo agora. Eu estava traçando um plano sombrio e frio de me suicidar no dia 24 de janeiro do ano que vem. Logo depois do show do Foo Fighters que era a última coisa boa que eu ia ver na vida. E sabe porquê? Porque eu me sinto culpada, eu me condeno e me puno por coisas que a minha mente doente fez. Mas eu tive culpa de ficar doente? Não! Eu não tive e não tenho culpa nenhuma! Eu só queria mesmo era que parasse de doer. 

Aí eu percebi que meu estado físico está lamentável, o meu mental desorientado e o meu social é a única coisa que me segura. Eu ia me suicidar. Não tinha nenhuma dúvida, só certezas. Parecia mesmo a única saída. Mas espera um pouco... eu tenho 28 anos, e trabalho em algo que odeio. ODEIO. ODEIO. E ODEIO. Por 8 anos fodidos eu fiz algo que eu ODEIO (sou funcionária pública). Porque? Porque eu achava que merecia uma punição. Porque eu acreditava que não merecia ser feliz. Porque eu tinha certeza que eu nem devia ter nascido. 

Dessa vez, meu corpo está debilitado fisicamente, e a minha própria médica disse: "acho melhor você procurar outro emprego". Achava que eu não merecia fazer o que eu amo. Mas eu mereço, não? Sou corajosa, sou muito corajosa, estou aqui falando dos meus sentimentos pessoais, tentando mostrar para pessoas COMO EU que ainda há esperança mesmo que a sua mente esteja toda fodida. E HÁ! Você pode recomeçar! Eu posso recomeçar! Não deixe que te forcem a fazer algo que você ODEIA, busque o que faz seu coração vibrar... Insista... Persista... Ouça os nãos e continue tentando mesmo assim... Você é muito mais do que pensa que é. Você é um ser humano que merece ser feliz, merece escolher, merece o completo bem-estar... Todo mundo devia ter esse bem-estar. Se as pessoas gostam de se manter em algo que odeiam por dinheiro, e acham isso normal, tudo bem, mas já conheci um número suficiente de pessoas que abandonaram tudo o que tinham, entraram em falência, passaram por apertos, e hoje prosperam porque acreditaram em SI MESMAS. E agora eu serei uma delas!

PS: Desculpem os palavrões, mas eu precisava muito escrever isso.

2 comentários:

  1. Oi

    Ótima resolução. Ninguém nesse mundo tem que ser infeliz. Se as coisas estão erradas, só temos duas opções: deixar por isso mesmo ou batalhar para mudar. Sei, e como sei, que batalhar para mudar é difícil, mas temos que tentar. Por nós e por aqueles que anos amam, que sofrem com nosso sofrimento e daqueles que nos querem por perto.

    Eu vi o documentário que vc indicou. Criei coragem e assisti. E pensei muito no sofrimento daquelas pessoas que perderam o menino. Fiquei pensando na vez que desmaiei na frente da minha mãe (efeitos de ficar sem alimentação) e na dor que causei nela.

    Não é fácil, eu sei. Mas tenho tentando fazer o melhor por mim, mesmo que às vezes sem vontade, mas porque tem tanta gente que me ama e que me quer bem que o mundo fica bem melhor conosco do que sem a gente. Então, por eles, por nós, por todos os que passam o que passamos, precisamos lutar. É uma luta diária mas, se não tentarmos, como saber se pode dar certo?

    Um grande abraço!!

    ResponderExcluir
  2. Ahhh Michele!!! Me identifico tanto com seu desabafo!!!
    Parabéns!!!
    Façamos isso! Busquemos o que nos faz feliz!

    Beijo!

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para comentar, apenas não seja grosseiro.
Se quiser me escrever, envie e-mail para blogenlouqueser@gmail.com , mensagens hostis/sem propósito não serão respondidas.

Pesquisar este blog