segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

(Filme) Borderline - Além dos limites

País: Canadá
Ano: 2008
Diretor: Lyne Charlebois
Contém: drama, sexo, vícios, desordens mentais

Hoje eu assisti ao filme Borderline - Além dos Limites e confesso que fiquei bastante emocionada tanto pelo lado positivo quanto negativo. A personagem principal, a Kiki, está para completar 30 anos, tem uma personalidade "sem limites" e tenta conviver com as lembranças de sua infância e adolescência ao lado de uma avó e mãe com problemas psicológicos. Por causa da negligência e "loucura" de sua família, ela vê como válvula de escape o sexo e o álcool em uma tentativa frustrada de esquecer o passado. 

Como eu descobri recente ter a personalidade borderline não tive como não me ver em muitas partes do filme. De uma forma ou de outra qualquer pessoa que tenha o "borderline" vai se identificar com a Kiki. Confesso que chorei bastante durante todo o filme e tive de pausar várias vezes porque me doeu lá no fundo da alma. O vácuo que carrego dentro de mim desde que me conheço por gente ficou bem palpável enquanto Kiki sofria no filme. 

Não sei se existe algo pior do que não saber nosso limite, não ter noção de Eu, ter dificuldades em controlar as emoções, comportamentos autodestrutivos e mutilações. O tempo todo eu fico tentando escapar do vácuo que nasceu comigo, se desenvolveu dentro de mim silenciosamente... como um câncer e que, nos últimos anos se espalhou e modificou toda a minha vida... Eu não me sinto mais vítima. Encaro isso como um "acidente" da biologia ou algum tipo de lição que eu tinha de aprender ou ensinar a outras pessoas como minha família. 

Não é fácil sofrer com essa personalidade. Eu sou bastante intensa em meus sentimentos indo da água para o vinho em segundos. De repente você me vê sorrir, um segundo depois você me verá chorando. E eu não vou saber explicar por que. Sei que desde que comecei a terapia há quatro anos atrás consegui encarar melhor essa "coisa" que cresceu comigo e hoje vejo que o fato de ter surgido um trauma na minha adolescência foi apenas um gatilho que acelerou o surgimento da minha falta de limites no nível emocional. Foi bastante duro viver assim, mas tem sido um aprendizado e tanto. 

Os cientistas dizem que, quem ter a personalidade borderline tem os sintomas diminuídos após os 30 anos. Eu tenho 28 anos e coincidência ou não desde a minha última tentativa de suicídio as coisas ficaram mais claras. Eu comecei a entender o perdão, a compaixão e o amor. Isso tem me transformado. Mas ainda há um longo caminho a percorrer, essa "coisa" que nasceu comigo tem que ser transformada e iluminada e isso vai acontecer antes dos 30, pode ter certeza! [2016: não aconteceu, desculpe] Recomendo o filme!

10 comentários:

  1. Michelle, eu não sabia muito sobre o transtorno bordeline, sempre achei que era só essa coisa de se automutilar, Mas que bom essa possibilidade de ter os sintomas diminuídos após os 30. Uma vida inteira pela frente.Que seja melhor sempre...Vc tem menos idade que minha filha (33 com carinha de 20 hehe), . Gostei muito do texto, o filme sei que não conseguirei assistir, "ando com a sensibilidade tão a flor da pele que qualquer...me faz chorar".Parabéns e sucesso !

    ResponderExcluir
  2. Oi Mi!Amo ler o que vc escreve,a maneira sensível e intensa de suas palavras!Vou assistir ao filme tbm ...sozinha pra não ficar chorando na frente do marido e filhos rsrs...eu fico feia pra caramba qdo choro!kkkk bjks sua linda!

    ResponderExcluir
  3. O filme é maravilhoso! Eu adorei quando vi! Força sempre minha querida!!
    Feliz ano novo! Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Mih! Adorei sua recomendação de filme.
    Já estou com vontade de assistir. Há um lado fascinante em aprender mais sobre a mente humana.
    Abraços! E obrigado.
    http://www.benoliveira.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá, obrigado pelas palavras lá no meu blog. Realmente essa troca é muito importante para superarmos nossas batalhas.
    Sobre o filme eu vou assistir assim que der. Sua última recomendação foi ótima e me fez pensar muito sobre várias coisas.

    Tenho certeza que a força que vc transmite para pessoas como eu vai tb te ajudar muito a alcançar essa transformação. Vai superar e estamos juntos nessa!

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá, há tempos tento encontrar este filme, que muito me provocou curiosidade. Por favor, aonde posso encontra-lo online, seja dublado ou até legendado.

    Desde já agradeco a atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brenda, infelizmente online também não encontrei, tive que baixar, baixei desse site aqui: http://consumindodownloads.blogspot.com.br/2013/10/borderline-alem-dos-limites-2008-canada.html, é muito bom! =)

      Excluir
  7. Michele, PARABÉNS por seu exemplo de FORÇA E SUPERAÇÃO!!! Conheci uma mulher Portadora do Transtorno de Personalidade Borderline. Meu nome eh Eduardo. Nos tornamos amigos e desde quando a conheci conversamos muito, ela eh uma mulher sensacional, inteligente, bonita, nos encontramos umas 5x, não tivemos contato fisico algum, mas tivemos uma ligação muito forte, adorava conversar com ela, ela mesmo um dia disse que era BORDER. tinha um carinho muito grande por ela, e queria ajuda-la.Mas um mês atras ela brigou comigo, me preocupei com ela, e talvez tenha me expressado mal, ou ela me entendido mal, ou as duas coisas, não sei. Ela explodiu e nunca mais nos falamos. Digo tudo isso porque esta expeiencia mexeu muito comigo e não quero que morra comigo tambem.Meu objetivo eh criar uma ONG Voltada para este TRANSTORNO.Preciso fazer algo para conscientizar a sociedade que na sua maioria desconhece o TRANSTORNO, para que de certa forma estejam preparados para enfrenta-lo.E posteriormente dar condições de tratamentos para pacientes e familiares que não possuem condições financeiras.Estou lendo muito sobre o assunto, livros, artigos, depoimentos.Gostaria da sua opinião sobre o projeto.Agradeço por tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Eduardo!!! Obrigada por compartilhar comigo a sua experiência! Eu fiquei muito emocionada ao ler sua história com essa mulher, vendo o quanto você se sentiu profundamente conectado a ela... eu acho isso tão bonito e significativo entre as pessoas... acho que os relacionamentos (sejam quais forem) são as coisas mais importantes das nossas vidas!!!
      Nós temos algo em comum, queremos ajudar... Eu gostaria de conscientizar as pessoas também.. meio que tento fazer isso com esse blog, a página do facebook, e estou tentando escrever um livro sobre a minha experiência, meu tratamento e minhas dificuldades e superações... Caso você queria dividir essa sua maravilhosa ideia, entre em contato comigo, para conversarmos melhor, através do e-mail blogenlouqueser@gmail.com
      Obrigada!!! =)

      Excluir
  8. sou mãe de uma boder.... O fato de não conseguir ajudar me destroi

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para comentar, apenas não seja grosseiro.
Se quiser me escrever, envie e-mail para blogenlouqueser@gmail.com , mensagens hostis/sem propósito não serão respondidas.

Pesquisar este blog