segunda-feira, 16 de março de 2015

Não é tão simples assim!


Eu sei, dei uma sumida deste blog. Quando a gente fica bem - bem até demais - começa a querer fazer muitas coisas ao mesmo tempo e meio que não quer desgrudar do momento bom, eu não queria largar nem por um segundo meu momento de alegria. Dois meses sem surtos, sem delírios, sem alucinações, sem impulsos, sem raiva exagerada, quase uma pessoa "normal" (se é que isso existe!). 

Houve dias em que senti tristeza, mas mesmo chorando eu continuava fazendo as coisas que sempre faço: um ritual diário (que agora não parece fazer o menor sentido), técnicas de "acupuntura sem agulhas" que não mudaram muita coisa [para mim - lembre-se, cada pessoa é única], terapia com cristais apenas relaxa, assim como o Reiki, são sessões muito boas para quem tem problemas com ansiedade e isso eu recomendo... Faço yoga diariamente porque eu gosto e me faz bem, eu respiro melhor e meu corpo tem maior estabilidade. Também faço meditações de vários tipos e isso me deixa tranquila por alguns minutos... Aliás me deixou em plena felicidade por algumas semanas. Continuo usando florais mesmo achando que não passam de efeito placebo. E não parei nenhum medicamento (só reduzi o rivotril), nem parei a terapia. Ou seja, eu continuo fazendo tudo o que eu me propus a fazer.

E como eu disse no outro vídeo, e parece que eu previ, coisas ruins acontecem, e tudo bem, haverão crises, e tudo bem... Uma crise de tristeza foi fácil de passar. A tristeza é um sentimento comum, normal, humano. Agora uma crise com delírios, paranoia, alucinação e rompimento temporário com a realidade, ah, meu amigo, isso é outra história. O discurso de "vai ficar tudo bem" funciona até certo momento. Quando você "enxerga" uma pessoa fora de contexto refletida no espelho, com a mão no seu ombro, com um aspecto sombrio da morte - e detalhe: que não existe - não adianta de nada respirar fundo e fechar os olhos. Dali para frente é só descida. 

Eu sou sortuda por ter consciência das alucinações. Eu vejo sangue, pessoas mortas, eu me vejo sangrar, e vejo pessoas que não existem, escuto vozes na minha cabeça, e tenho muitos pesadelos. Ás vezes meu olhar fica perdido no tempo, e quando alguém me traz de volta eu não me lembro o que estava pensando. De repente, em meio a uma discussão mais acalorada, as pessoas falam que eu mudo de "personalidade" e digo coisas horríveis das quais eu não me lembro. E aí? Não vou tomar um remédio mais forte porque "respira fundo que vai passar"? Não passou! É fácil fazer um discurso bonitinho quando você não é assaltado por esses delírios e rompimentos com a realidade. Isso dói. Dói ver uma parte da sua mente lentamente se dissolvendo em fantasia e irrealidade, sofrimento e escuridão, mesmo você tentando, com todas as suas forças, lidar contra isso. Todos os dias. Uma luta sofrida para colocar de pé uma mente tentando se construir. Onde foi que eu me perdi? Qual é o problema comigo? Estou começando a me sentir culpada por estar doente, por ter uma parte de mim enlouquecendo bem na minha frente, por ter essa voz gritando dentro de mim... Eu não posso tirar ela daqui de dentro e isso é o mais desesperador... Não há respiração, yoga, meditação que a faça parar de falar, só remédios - e por algum tempo... e eu nunca sei quanto. (não fique com pena, é minha experiência de vida, fazer o quê!)

Eu sei, estou com raiva, frustrada, impaciente. Estou escrevendo com bastante raiva de mim e muitas pessoas. Agora estou me sentindo enganada por algumas delas. Elas me deram esperança e eu não sei se eu poderia ter essa esperança. Tudo para mim é meio perigoso porque eu vou de um extremo para outro muito fácil e agora estou naquela linha bem vulnerável onde eu não sei no que vai dar. Estou com medo e eufórica. Estou tranquila e com muita raiva. Tudo ao mesmo tempo. Misturado. Realidade e fantasia dentro de mim se misturando. Eu duvido da minha própria existência, tento evitar os pensamentos de auto mutilação e de suicídio. Eu me sinto sozinha e abandonada e um peso para as pessoas ao meu redor. O desespero toma conta de mim e eu não vejo mais saída além de abandonar o barco. A morte. Mas eu ainda estou aqui. Escrevendo. Indo contra todos os pensamentos na minha cabeça. Eu não sei mais quem eu sou ou para quê eu sirvo nesta vida, mas eu não vou morrer assim tão fácil... Eu não sei o que vai acontecer comigo daqui para frente, a minha mente está bem confusa, mas se eu puder lhes dar um conselho é: não desistam fácil de si mesmos, lutem mesmo se arrastando, não importa, criem resistência contra a doença, cuidem da mente de vocês como se fossem seus filhos... Quarta-feira tenho consulta com a psiquiatra... Estou com um pavor tremendo de não conseguir sobreviver até lá.

21 comentários:

  1. tudo que vc escreveu é oq sinto, penso, passo todos os dias a 5 anos. chorei lendo e estou digitando isso chorando, eu espero que vc consiga, sei que ''palvras'' nao ajudam uma mente perdida, mas é o maximo que podemos fazer uns pelos outros que sabem oq é ser assim, eu tomo rivotril a 5 anos e nao consigo largar, todos os dias penso em me matar, mas tenho dó da minha familia, eu quero ser normal, eu vejo as pessoas e fico triste pq elas sao normais e eu nao, eu sinto inveja de pessoas normais, eu me odeio sabe, odeio ser eu, odeio ser fraca pra nao conseguir nem melhorar de mim mesma, só faço mal aos outros e a mim mesma, e sem intenção, as vezes chego achar que tenho algum demonio encarnado em mim, embora eu saiba que isso é uma ''falha'' no cerebro, e a pergunta que fica é: cerebros danificados melhoram? eu acho que nao, cada dia me sinto pior, nao sei quando e como sera meu fim, mas juro que desisti de mim faz tempo, cansa tentar tentar tentar e nao conseguir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Eu compreendo como vc se sente. Estou em um momento ruim agora, mas acredito que vai melhorar. Cerebros danificados podem melhorar sim, eu já vi alguns. Eu não uso rivotril há quase 1 ano e achava que eu nunca ia conseguir. Mesmo nos dias mais nublados eu penso que não deveriamos desistir de nós. Eu tenho muita vontade de saber como é viver uma vida sem todas essas crises, por isso continuo lutando, tentando.
      Espero que você encontre sua força, porque você já é muito forte e corajosa!
      Abraços

      Excluir
    2. Meu Deus isso acontece comigo li e foi como fosse eu tão eu tô perdida o mundo desaba sobre mim mais tenho que fica de pé por minhas filhas e meu neto se não eu desistia eu não tenho vontade de vive mais eu cansei de sofre nada me dexa feliz eu acho que a felicidade não existe mais não é só eu que sofro tenho dir de cabeça diária eu tomo o bendito do clonazepam 2,0ml e passa como se fosse um analgésico tempos fiquei tão ruim que achei que ia morre mais Deus não me levo não era minha hora muitas preocupações que eu não consigo resolver sem forças tento ainda arrastada uma ansiedade que me toma conta de mim .minha mente não consegui descansa tenho medo do futuro isso não é normal ter medo do que não pode acontecer sofrimento sofrimento . Isso que acontece com nos que sofrem dessa maldita doença não dexa nos vive em paz

      Excluir
  2. Eu comecei a tomar clopam de 2 mg também, quando comecei opa uma maravilha pra dormir então ai sim hein! Porém eu ficava muito baquiado (cansado) no dia, visão borrada, pra ir pra universidade eu não prestava atenção, com um mês de uso parei por conta própria, deixei mesmo de mão, isso foi errado, sim foi, mas foi o que eu escolhi fazer caso eu quisesse continuar no curso, 4 a 5 dias meu organismo estava estranho, a ansiedade a mil, a sudorese voltou igual a antes, meu organisnmo querendo de voltar o remédio, as cartelas restantes estavam do meu lado, mas nao tomei, hoje faz 15 dias sem ele, no começo eu senti falta de verdade, o sono não estava mais o mesmo acordava 3 4 da manhã e não dormia mais, agora nem tanto a ansiedade diminuiu consideravelmente por controle da respiração, o sono aos poucos também e vou voltar ao psiquiatra para relatar o acontecido, se ele disser para eu tomar ele, nao tomo mesmo a nao ser que seja a dose mais mínima possível, ou um que não vicie.
    Fui em 2 psiquiatras o primeiro disse que nem disso eu não precisava só controlar a ansiedade, mas era pelo SUS e não tinha vaga pra ele, e ai tive que ir em outro, o segundo passou o CLOPAM o mesmo rivotril, fui na dele e me dei mal =/
    é difícil mas não e impossível desmamar, mas não sigam meu exemplo de tirar de uma vez, senti muito no começo a vontade de tomar de novo, mas resisti, tive pesadelos e tudo mas resisti, agora com 15 dias que não estou sentindo falta dele como antes. Com força fé e foco vai da certo para todos.

    ResponderExcluir
  3. Tomei clonazepam por dose anos porque tive uma depressão forte jamais sabia que quando largasse teria essa horrível abstinência ninguém me falou ,só falava que viciava hoje faz três meses que estou fazendo o desmame estou sofrendo com fortes abstinência mais com ajuda do meu Deus eu não vou tomar mais se soubesse nunca teria colocado na boca essa droga pois deveria de ser proibido .A muito tempo atrás tive depressão fui num médico particular ele me passou um calmante com dosagens baixo o frontal 0,5 por 30 dia quando voltei ao retorno ele já tirou não viciei e fiquei muito boa agora estou passando por isso mais vou conseguir e digo para quem nunca tomou nunca tome pois paga caro depois acredite nunca tome essa droga.gostaria se saber quantos dias duram essa abstinência.

    ResponderExcluir
  4. Ola estou em processo de desmame do rivotril tirando 1 gota a cada 1 semana porem estou dormindo pouco acordo 3 da manha e nso consigo dormir mais nao sei quanto tempo vai demorar para o sono normalizar isso me angustia mais vou me manter firme e nso vou aumentar a dosagem dessa droga sob hipotese alguma se alguem tiver uma resposta para me passar agradeco de coracao obrigada desde ja

    ResponderExcluir
  5. Por gentileza alguem sabe de algum cha natural q ajude de forme efetiva nesse processo de desmame do clonazepam ou rivotril que auxilie no processo de regularizacao do sono?

    ResponderExcluir
  6. Marcia Melo, a Valeriana é um calmante natural e com ótimos resultados!

    ResponderExcluir
  7. Gente preciso de uma ajudinha, a um mês atrás eu estava lavando roupa e limpando a casa e com meus três filhos pequeno em casa, Quando derepente eu comecei a olhar o meu lado esquerdo e tive a sensação de que estava faltando alguma coisa e isso só foi piorando eu olhava e olhava e sempre aquela sensação Está faltando alguma coisa e eu não sabia o quê era, foi então que eu pensei vou arrumar a casa quê está muito baguncada e comececei a arrumar e arrumar e fui arrumando e aquela sensação só piorando e eu olhava para meus filhos e achava eles estranhos e aquilo foi ficando pior, é a minha casa foi ficando estranha e meu coração acelerado e suando frio, e tremendo muito, aí eu comecei acha que estava vendo uns pontos cegos só que não, Era só coisa da minha cabeça, e eu fui arrumando e arrumando tudo e aquela sensação que tinha que fazer tudo, e minha filha chorando e aquilo foi piorando aí eu sentei no chão e coloquei minhas mãos na cabeça e falei meu Deus e agora, aí meu marido chegou e eu falei p ele que estava tendo uma crise de ansiedade por que eu já tomava o fluoxetina e comecei a repetir e a repeti as palavras e não conseguia me expressar, e aquilo foi me dando um desespero e a minha respiração foi faltando, e passei a noite assim, no outro dia continuei assim, é fui p o hospital e o médico me passou sertralina faço terapia, será que isso é tudo coisa da minha cabeça? Ou será quê é realmente o pânico,alguém por favor me ajude por quê não aguento mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário! Pode ser pânico ou uma crise de ansiedade, somente o psiquiatra pode dizer. Caso você não estejam melhorando com os atuais remédios, reveja com seu médico o tratamento, pois remédios devem nos ajudar a melhorar e não piorar. Além disso, terapia é muito importante para você compreender o porquê dessas crises acontecerem.
      Beijos

      Excluir
  8. Gente tomo 0.25 de rivotril a quase 2 anos, estou tentando parar mais com 2 dias sem tomar começo a entrar em estado de delírio... meu médico trocou minha medicação pelo pondera, acho que para auxiliar na largada do rivotril e também porque o citalopram não estava mais me ajudando com a ansiedade e pânico.
    Comecei com o pondera com uma dose bem baixa a noite quando amanheço parece que levei uma Paulada na cabeça, tonturas visão borrada e uma pressão na cabeça. Tenho muita sensibilidade à essas medicações e me preocupo se um dia me livrarei delas...

    ResponderExcluir
  9. 5 meses sem clopam ai sim ein =D
    consegui voces conseguem tambem

    ResponderExcluir
  10. Estou sem tomar faz uma semana...
    Ainda estou com tia os sintoma.

    ResponderExcluir
  11. Boa noite, faço uso do clonazepan há vários anos, fui ao médico recentemente e ele trocou meus medicamentos pelo alprazolan e velija, mas se eu ficar sem o maldito rivotril não consigo levantar da cama, todo o meu corpo dói demais, o coração acelera e fica tudo horrível, já tentei o desmame, mas não consegui devido às fortes dores. Remédio horrível esse... Agora estou me sentindo uma dependente química que precisa de internação pra se livrar da abstinência...


    ResponderExcluir
  12. Gente, tomo clonazepam há um ano e a médica disse que se eu quisesse ir parando, tudo bem; mas só porque eu pedi. Poxa, se dependesse dela eu passaria muito tomando :( Deus, eu não aguento mais, tô parando, mas eu não aguento mais...vivo com dor de cabeça, sensação de flutuar, parece que minhas mãos parecem que não vão segurançar as coisas, tenho tremor, espasmos, pesadelos tô sem nada há 3 dias, mas decidi parar há 10 dias...
    Espero que isso passe
    Tô tomando relaxante muscular, calmante natural e anti enjoo pra dormir mas não dá em nada.
    Sinto muito por todos nós, quem conseguiu está de parabéns e nós que ainda não conseguimos espero que esse tempo passe rápido

    Beijo pra todo mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcello leal Lopes
      Usuário de clonazepam a cerca de um ano. Faz 10 que parei, os sintomas são os descritos por você ali em cima.
      Ninguém me avisou do desmame... Muito menos dos problemas que o uso a longo prazo traz.
      Enquanto digito estou tendo uma sensação engraçada, minhas pernas querem literalmente flutuar.
      Hj fiquei tentado a tomar 1 me sinto muito mal, nao durmo, nao como. Esta sendo minha primeira parada, nao espero voltar a tomar nunca mais.

      Excluir
    2. Marcello, torcendo para você conseguir! Eu vou fazer quase 1 ano sem a medicação e não sinto mais nenhuma falta, aliás não quero mais tomar a não ser em extrema necessidade. É muito libertador não estar mais dependente de um medicamento. Abraço.

      Excluir
  13. STEFFANY graças a deus eu consegui parar com uma semana, infelizmente senti toda essa abstinência ainda hoje sinto minhas pernas sei la mei estranha mas isso nao me incomoda mais porque nao deixo que minha mente me domine, eu durmo hj graças a Deus normal tenho meu sono tranquilo viajo inclusive fui agora pra Fortaleza reveillon relaxei demais.
    Se alguem quiser conversar dicas de como fiz deixe email abaixo que eu respondo para voces
    Eu consegui todos podem conseguir
    força

    ResponderExcluir
  14. Voltando aqui, faz mais de 6 meses que deixei de tomar clopam e nao sinto mais falta

    ResponderExcluir
  15. Júlio
    Agradeço caso possa me ajudar.
    Pereira.arlindo63@gmail.com

    ResponderExcluir
  16. Nossa gente pensei que somente eu estava perdido. Todos esses sintomas horríveis senti no começo e agora com apenas alguns dias sofro ainda alguns sintomas da interrupção. Na verdade minha mãe toma e eu estava com insônia e decidi tomar no começo do ano. Mas parei agora por causa de outros remédios que precisei tomar. Resultado: uma ansiedade fora do normal, muita náusea, tontura, confusão na mente e com a realidade.(é muito serio isso. Não podemos parar de uma vez. E digo não desistem. Não nascemos com trastornos nenhum. Não nascemos com rivotril. Ele vai sai do meu corpo. Existe remédios naturais que limpa o sangue. É só pesquiza no Google!!! Não desanime. Não querem mais? Vai tirando aos poucos, mas aos poucos mesmo. Sem o organismo perceber. Depois para parar é pior. Não tomem a vida toda. Depois para parar é um Deus nos acuda.

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para comentar, apenas não seja grosseiro.
Se quiser me escrever, envie e-mail para blogenlouqueser@gmail.com , mensagens hostis/sem propósito não serão respondidas.

Pesquisar este blog