quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

O custo do tratamento


Eu disse certa vez, em um vídeo, que dinheiro não era o problema, quem quer não arranja desculpas, e, por exemplo, eu estava no 'caminho da cura' com alternativas sem dinheiro. É claro que eu estava errada. Estupidamente errada. Antigamente eu ia passar o resto da vida me culpando, mas é melhor admitir, errar é humano, normal e mudamos de opinião o tempo inteiro. Acontece que essa nunca foi a minha opinião. Essa era a opinião de outra pessoa que eu apenas peguei emprestada na esperança de agradar essa pessoa - só para registro, não funcionou. E as 'alternativas' sem dinheiro? - também não funcionaram.


Uma vez eu liguei no serviço gratuito de uma grande universidade (ah, não vou falar qual é) e me disseram que precisava ter o encaminhamento de um psiquiatra para fazer o tratamento lá. Bastava apenas um papel com um carimbo de um psiquiatra e pronto, você conseguia o tratamento completo, porém (sim, tinha um porém), precisava ser de baixa renda. Ok. Próximo. Outra vez eu fui até um grande hospital que oferecia tratamento completo para pessoas sem condições de pagar (não especificava a renda), mas, chegando lá necessitava de um encaminhamento (outra vez) de um médico psiquiatra que, especificamente, dissesse que eu precisava de um tratamento psiquiátrico naquele hospital para aquela doença específica. Ok. Próximo. Nesse mesmo hospital (sou insistente), fui escolhida para cobaia de uma pesquisa, eu tinha sido diagnostica com depressão (ainda não sabia que tinha borderline), e eles precisavam de gente com depressão, eu fui escolhida e fui a entrevista, sei lá porque eu não tinha o perfil, no fim da entrevista eu comecei a chorar porque (não diga) eu estava cansada, me senti rejeitada e tenho mesmo depressão, além de não ter recebido nenhuma justificativa razoável pela negativa. O médico nem mesmo me deu uma alternativa, disse que eu procurasse outro médico.

Quando descobri que tinha transtorno de personalidade borderline já não podia mais esperar pelo SUS ou CAPS - pensamentos suicidas recorrentes. Isso é triste. Não poder contar com seu governo quando você mais precisa é triste. Eu sou funcionária pública, tenho um plano de saúde, mas não posso contar com ele. Quando você liga para agendar uma consulta, nunca tem vaga. Tão ruim quanto o SUS (porque faz parte do SUS). O único jeito que eu encontrei foi parcelar exames em 10x e pagar as consultas em dinheiro. Mas e quem não tem essa opção? Como faz? Depende totalmente de SUS. E mesmo não gostando do psiquiatra, do psicólogo, continua porque é tudo o que a pessoa tem. Ela está sim, tentando, com todas as armas disponíveis para ela. Quando leio os relatos, me dói. Eu gostaria que a terapia que eu faço estivesse disponível a qualquer pessoa, que fosse estudada por todos os psiquiatras no SUS e eles ensinassem a todos os pacientes que fossem se beneficiar dessa terapia. Porque ela REALMENTE funciona. Não é truque, nem lavagem cerebral, nem placebo, é real, é ciência, salvou a minha vida. Eu estou aqui, eu AMO A MINHA VIDA agora, porque a terapia dialética me salvou. Eu sou uma pessoa com transtorno de personalidade borderline em tratamento, alguém que um médico disse lá atrás que NUNCA melhoraria, que JAMAIS mudaria, bem, eu mudei. Eu não me conformo que isso não esteja disponível para todos.

O que eu estou sentindo ultimamente eu queria que todos vocês sentissem porque é muito prazeroso, é uma mudança que você quer que todas as pessoas sintam pelo menos uma vez em suas vidas. Se uma pessoa quer melhorar, porque todas as ferramentas existentes não estão disponíveis para ela? Sejam elas alternativas ou cientificamente comprovadas? Porque tudo tem de ser tão complicado? Eu sei que tudo isso é político, social, histórico e cultural. Mas, cara, me dói não poder ajudar mais. Me dói não poder dizer "procure o lugar x que lá você vai ter a ajuda que precisa", ás vezes eu simplesmente não sei o que dizer. Ás vezes sinto vergonha, mas sei que tenho sorte de ter tudo que tenho, de ter essa oportunidade, talvez por isso eu dê tanto valor, por isso eu não falo mais bobagens como 'dinheiro não é o problema'... Eu imagino e sinto a luta e o esforço de vocês todos, acreditem eu queria poder fazer mais, pois sei que emocionalmente, tudo isso custa demais a todos nós.

8 comentários:

  1. Oi,Michele!Como tudo isso é verdade,não?Tristemente verdadeiro!Faço 'peregrinação' há décadas,por mim,por minha filha e minha neta!!!Não é fácil mesmo!É desigual,desumano!Compartilho total com você.Tbm gostaria de poder fazer algo mais.Algo que fosse efetivo,que funcionasse para todos!

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde Michele! Voltei ao seu blog algumas vezes e tenho lido seus Posts antigos. Me sinto muito bem aqui!
    Esse seu texto fala muito sobre a realidade aqui do nosso País e de pessoas que buscam e demoram para encontrar algum caminho.
    Vou contar um pouco sobre a minha experiência (recente) sobre Psiquiatria.
    Em outubro de 2015, quando sofri o sequestro relâmpago, eu precisei muito do apoio da empresa em que trabalho, já que a mesma não oferece convênio médico. Infelizmente, por não terem "obrigação" eles não pagariam os custos com meu tratamento, mesmo tendo sido em horário de trabalho.
    Bom, fui procurar saber quanto custa um Psiquiatra aqui em SJC e descobri que em torno de R$ 300,00/R$ 400,00. Eu não tinha esse dinheiro, definitivamente!
    Pelo CAPS eu precisava ter um encaminhamento da UBS, que primeiro agendaria um Clínico e eu precisaria de atendimento rápido, então também não deu. No atendimento de emergência eles iriam apenas me dopar e voltar pra casa.
    Descobri algo legal: O Cartão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Frann, nossa, é realmente complicado conseguir tratamento. Entendo sua dificuldade, também passei pelo mesmo. A emergência, pelo menos na minha experiência, é a pior parte, eles apenas dopam e pronto, mandam voltar para casa. Não tem ajuda nenhuma lá. Os psiquiatras cobram caro mesmo, todos os médicos cobram caro, mas eles cobram um pouco a mais talvez pelas especializações, eu realmente ainda não descobri. No seu caso, eu acho que a empresa deveria pagar, você deveria ter convênio médico pago pela mesma e você estava no percurso do trabalho. Força sempre.

      Excluir
    2. Faltou um trecho do comentário.. Agora q vi:


      Cartão de Todos. Vem um valor baixo junto com a conta de luz e as consultas custam R$ 30,00. Consegui atendimento em 6 dias.
      Fui atendida, contei o que estava acontecendo, o médico não fez nenhuma pergunta..e me receitou Escitalopram 5mg por 30 dias e um retorno. Voltei lá, ele aumentou para 10mg pois ainda não estava bem e solicitou afastamento do trabalho. Quando fui agendar retorno me informaram que entrariam em recesso 18 de dezembro e que não teriam mais data para 2015. E para 2016 só agendariam ligando lá a partir de 04/01/16. Liguei lá e consegui agendar apenas para 21/01 com um outro psiquiatra pois o que me atendeu agora só atende em SP. Só que meu remédio acabou dia 10 de dezembro e desde então estou sem me medicar. Me sinto péssima!
      Sei lá, parece descaso sabe? Como se não tivesse nenhum valor ou importância pra sociedade pois não temos mesmo suporte algum. E eu sei que estou só no começo da caminhada e ao invés de melhorar, eu piorei.
      Pode ser que eu tenha só depressão, pode sim.

      Mas eu li os sintomas aqui no seu blog e me identifiquei com eles.
      Não sei como vai ser daqui pra frente e estou contando um dia de cada vez.
      Quero e preciso ficar bem por causa do meu filho! Só não imagino como vai ser essa caminhada até ter um diagnóstico certo!
      Um abraço!

      Excluir
    3. Então, eu estava em horário de trabalho mesmo..pq trabalhava com o carro da Empresa. Eles me abordaram em Jacareí e foram me deixar lá em Mogi das Cruzes. Levaram o carro embora e me largaram lá! A empresa não deu nenhum suporte. Quem foi me buscar sozinho la foi meu esposo e a empresa nem sequer me acompanhou na Delegacia. Descaso total! Mesmo quando eu estiver melhor não quero voltar a trabalhar lá.

      Excluir
  3. Oi, Michele

    Acho que você falou muito bem sobre isso. Realmente não é fácil pra quem quer buscar ajuda e esse país é extremamente complicado. Você ainda foi insistente na sua busca, imagino que muita gente para mesmo no meio do caminho, afinal, é desgastante e, dependendo do transtorno que a pessoa tem, o tempo só piora, não é verdade?

    Outra coisa são os preços. Esse tipo de atendimento particular é fora da realidade de muitos brasileiros. Os preços que a colega acima comentou me parecem muito caros. Quem tem R$ 300,00 ou R$ 400,00 reais pra dar assim? Acho que não é todo mundo mesmo.

    Você também comentou o fato de algumas pessoas que, mesmo não gostando do psiquiatra ou psicólogo que estão as atendendo, continuam com eles pois não têm escolha. Também acho isso muito triste. O intuito da coisa toda é fazer você se sentir melhor, mais confortável... nada pior do que dar continuidade a uma coisa sem querer estar lá de verdade.

    ResponderExcluir
  4. Eu estava muito mal há alguns anos, uma depressão que nada curava. Não consegui trabalhar por muito tempo. Descobri que era bipolar. Psiquiatra, remédios, terapeuta... Um dia, eu, apavorado com a velocidade com que minhas economias sumiam da minha conta, disse ao psiquiatra: Então quer dizer que uma pessoa tem que ser rica pra poder ficar deprimida? Ele respondeu: infelizmente é quase assim.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom observar o ponto de vista do paciente. Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para comentar, apenas não seja grosseiro.
Se quiser me escrever, envie e-mail para blogenlouqueser@gmail.com , mensagens hostis/sem propósito não serão respondidas.

Pesquisar este blog