segunda-feira, 13 de junho de 2016

Carta para borderline #5



Leia cartas anteriores: #1, #2, #3 e #4

"Borderline,

Por que?
Essa é a pergunta que, inevitavelmente, me faço todos os dias, mesmo sabendo que eu nunca terei a resposta.

Você me derrubou mais uma vez. Você sempre incansável, pacientemente esperou o momento em que tudo estivesse mais vulnerável possível para então colocar em prática seu plano, minuciosamente, arquitetado, em que eu perco tudo e todos. O seu papel nessa história é me manipular como um fantoche enquanto eu me transformo em alguém que eu não reconhecerei e não me recordarei depois. Alguém que dirá palavras que ferem profundamente. Alguém que se torna um animal selvagem ferido tentando se defender de um predador imaginário. Alguém que vai chegar ao extremo de ferir a si mesma, deixando o sangue escorrer, e ser incapaz de sentir dor ou se lembrar porque o fez. Talvez esse alguém só quisesse voltar a realidade, só quisesse tentar escapar das suas mãos mortais...mas foi completamente ineficaz.

Você me caça, me mantém prisioneira temporariamente, mas nunca me executa. A sua diversão é o meu sofrimento e as minhas perdas e, dessa vez, eu não consegui lutar pelo que amo. Eu perdi. Não importa o que eu diga, faça ou pense, é você que eles veem em minha face, dentro dos meus olhos, em meu corpo. Você os assustou tanto que, agora, eles não tem mais força para lutar contra você. Eles se renderam, mas não porque sejam covardes, eles se renderam porque você nunca oferece outra opção. Você testa todos os limites, você testa meus limites. E eu nunca entendo o motivo. Só sei que você deve se divertir, ou, pelo menos, é assim que imagino você.

Agora é só eu e você. Como você tanto queria. Sozinhos. Eu não estou mais feliz e você continua ocupando o vazio. E eu te peço uma dança, você é tudo o que me resta. Dance comigo por um minuto para que eu possa te dizer algo. Olhar no fundo dos seus olhos vazios. Dois buracos vazios, escuros, frios, que não refletem nada além do nada que você é. Eu abaixaria o seu capuz. Você não tem nem forma, nem corpo, você não é nada. Eu sou. E você só sente que existe porque eu existo. Sem mim, não haverá mais nenhuma possibilidade."

2 comentários:

  1. Michele, ótimo blog, excelentes cartas, minha esposa é borderline, e tudo que passamos está descrito em suas cartas, ótimo isso, isso faz com que consigamos entender vocês melhor, esse é meu objetivo, ajudar sempre ela, aliás ela está internada nesse momento, sexta internação, porém dessa vez ela não cometeu nenhuma tentativa de suícidio, pediu ajuda antes, fico destruído cada internamento, cada sofrimento dela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, sinto muito pela sua esposa e ao mesmo tempo sinto que ela é muito forte e foi muito corajosa ao ter pedido ajuda para salvar a própria vida, é uma luta muito intensa. Eu fico emocionada em ver sua dedicação, interessa e amor para ajudá-la. Isso também me faz acreditar! Obrigada por ler o blog!

      Excluir

Sinta-se a vontade para comentar, apenas não seja grosseiro.
Se quiser me escrever, envie e-mail para blogenlouqueser@gmail.com , mensagens hostis/sem propósito não serão respondidas.

Pesquisar este blog