segunda-feira, 20 de junho de 2016

O que é Dissociação no Transtorno da Personalidade Borderline? (tradução)

por Dra. Kristalyn Salter-Pedneault
 

Traduzido por mim. Versão original, em inglês, clique aqui.



A dissociação é uma experiência muito comum para pessoas com o transtorno da personalidade borderline (TPB). Às vezes, você sente como se estivesse no "modo desligado"? Tem horas que você sem sente "irreal" ou que as coisas ao seu redor parecem estranhas ou desconhecidas? Às vezes, você perde períodos de tempo, ou tem algum pedaço do dia que você não lembra? Essas experiências acontecem quando você está sob muito estresse? Você pode estar experimentando a dissociação.

O que é dissociação?

A Associação Americana de Psiquiatria define dissociação como "perturbação das funções normalmente integradas da consciência, memória , identidade ou percepção do ambiente".

Mas o que isso significa? Na realidade, mesmo os especialistas não estão completamente certos
como definir a dissociação. Contudo, anos de estudos permitiram aos pesquisadores descreverem
experiências que acompanham a dissociação. Existem:

-Despersonalização: a despersonalização é sentir-se separado de si mesmo e do seu corpo.
As pessoas que tiveram a experiência de despersonalização dizem que elas se sentem observando
o seu corpo de fora, como se estivessem em um sonho.

-Desrealização: a desrealização é similar a despersonalização, a diferença é que a pessoa se
sente separada do mundo externo, assim como das pessoas ou coisas. A desrealização pode
fazer que coisas familiares pareçam estranhas, irreais ou desconhecidas. A desrealização e a
despersonalização podem ocorrer ao mesmo tempo.

-Amnésia: Algumas pessoas que experimentam a dissociação tem períodos de amnésia ou "perda
de tempo". Elas tem de minutos a horas ou dias em que elas estão acordadas mas não se lembram
onde elas estiveram ou o que fizeram.

Se você nunca teve uma experiência de dissociação, pode estar confuso com estar descrições.
Mas a maioria das pessoas experimenta formas mais leve de dissociação durante a vida.

Por exemplo, você já dirigiu sozinho na estrada, e de repente, você olhou e percebeu que perdeu
a saída, mas não se lembra o que estava fazendo ou pensando porque estava distraído? Ou, já leu
uma palavra impressa em uma página e sentiu que a palavra parecia estranha ou desconhecida,
mesmo já tendo a lido inúmeras vezes? Essas  são formas mais leves de dissociação que as pessoas
experimentam.

A dissociação é um transtorno?
 
Há alguns transtornos que incluem a dissociação como núcleo central. Por exemplo, o Transtorno da
Identidade Dissociativa (TID)
é uma doença que se pensava ser resultado de uma grave dissociação
que levava a pessoa a desenvolver múltiplas personalidades. Contudo, há muita controvérsia sobre
o que o TID é e se pode ser definido cientificamente.

A dissociação é também presente em outros transtornos. Por exemplo, um sintoma do TPB (borderline) é a dissociação durante períodos de estresse. A dissociação é também associada ao transtorno do estresse pós-traumático.

A dissociação pode ser tratada?
 
Sim. Tratamentos para o TPB geralmente também incluem componentes que reduzem a dissociação.
O tratamento para dissociação é baseado em aprender habilidades que ajudem o paciente a reconectar-se consigo mesmo, com o momento presente e seu ambiente atual.

Por exemplo, o "grounding" é uma habilidade que pode ser usada para diminuir a dissociação.
Exercícios de "grounding" envolvem usar estímulo externo para reconectar-se. Por exemplo,
em um exercício visual de grounding, você será instruído a observar os pequenos detalhes
no ambiente ao seu redor até você sentir-se mais conectado. Algumas pessoas respondem melhor
a exercícios de "grounding" que usem os sentidos; exemplo: segurar uma pedra de gelo por
alguns segundos para ajudá-lo a trazer de volta ao momento presente.


2 comentários:

  1. A dissociação, em específico a desrealização é uma merrrrrrrrrrrda, com desculpas pela má expressão. Mas pra mim, que infelizmente sou Border, a melhor definição pra dissociação é "inferno". Simplesmente "inferno". Realmente é muito subjetivo explicar isso pra alguém que nunca vivenciou, mas quem passa, sabe bem como é. Na desrealização, de repente o mundo fica escuro, o som das coisas na rua (carros, conversas, passos) deixam de se tornar um continuum barulhento pra se tornar sons singulares... com isso quero dizer que, passamos a observar todos os barulhos de maneira separadamente, mas ao mesmo tempo parece que o mundo ficou silencioso.. parece que as pessoas na rua pararam de conversar, ficou tudo mudo.. é paradoxal, mas é assim que é. Os prédios parecem estar mais perto, maiores..não, pera..agora estão mais longe.. O barulho do meu pé pisando no chão parece que não é meu pé e sim um sonoplasta controlando esse som. As cores estão vibrantes, contrastadas, em HD. Mas nada disso é bonito, é legal, isso causa estranheza, medo.. a cabeça fica pesada, parece que tô drogada ou sei lá. Fica um pensamento de ruminação obsessiva (to melhor? que horas vai passar? será que to vendo isso mesmo? e agora?), um ciclo vicioso de pensamento a respeito dos acontecimentos. Simplesmente não dá pra ignorar. É sinistro, é medonho, e não dá pra se acostumar com isso. Geralmente dura uns 30min, as vezes dura 1min.. mas ja chegou a durar 3 dias (ali sim foi O INFERNO.. mas nesse dia facilitei ingerindo cafeína).. enfim.. sorte a todos que convivem com a dissociação, mais ainda aos que são borders.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem por aí mesmo. No meu caso tem a amnésia, não sei se ajuda ou se atrapalha mais ainda, mas assusta demais não saber o que eu falei, fiz ou pensei. Horrível!

      Excluir

Sinta-se a vontade para comentar, apenas não seja grosseiro.
Se quiser me escrever, envie e-mail para blogenlouqueser@gmail.com , mensagens hostis/sem propósito não serão respondidas.

Pesquisar este blog