terça-feira, 5 de julho de 2016

Carta para borderline #6


Borderline,

Eu sei que você está por perto. Muito perto.

Você tem ficado no seu lugar, por todos esses dias, fingindo não existir, quando, na verdade, estava adotando sua segunda estratégia favorita de controle da minha mente: o vazio. Sim, porque ora você me deixa inundada em todos os sentimentos do mundo ou, abruptamente eles me são cortados e sou exilada para o Deserto do Vazio.

Todos esses dias eu caminhei na areia e em silêncio, mas pude ouvir sua risada fantasmagórica vez ou outra em meus sonhos. Suas estratégias são sempre cruéis porque, de fato, eu pareço um ser humano funcional, que cumpre as regras e até sorri de vez em quando, mas ninguém consegue ver as cordas que você está manipulando. Eu sou apenas uma marionete nas suas mãos, como era de se esperar. Eu olho para dentro de mim, em busca de algo para me sustentar ou fugir de você, mas só consigo enxergar o profundo vazio. Estou oca. Deserto do Vazio. Areia e silêncio. Por quanto tempo você me banirá aqui? Eu ainda não sei.

Eu até mesmo descumpri nosso acordo e tentei pedir ajuda. Um resgate. Alguém que pudesse me livrar de você porque a gente sabe muito bem o que vem a seguir. Ou talvez não, talvez não aconteça. A graça, para você, é se divertir com a angústia, com o incerto, o indefinido. Você não entende que minha vida esteve em risco mais uma vez e, talvez, ainda esteja. Eu não obtive a ajuda que precisava, exatamente como você previu. Eu ouvi sua risada. Eu sei que você avisou.

Eu te escrevo porque, mesmo que eu rasteje nessa areia, mesmo que eu nada sinta agora (eu sentirei tudo de uma vez em um momento incerto que pode ser daqui a cinco minutos, cinco horas ou cinco dias, é você que escolhe), e ainda que a pessoa que deveria me ajudar tenha me abandonado (e você me avisou, já sei), eu ainda não pretendo desistir. Sei que sinalizei a desistência por alguns minutos, sei que até planejei, mas não esqueça: Eu vou continuar oferecendo resistência.

9 comentários:

  1. Porque as pessoas em que confiamos para nos ajudar sempre vão embora?

    Resista sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brenda, algumas ficam, algumas vão. Outras estão no meio termo, esse é o caso, confesso que o meio termo quando se trata de amizade e relacionamentos em geral não é o ideal, mas as pessoas fazem o que podem e conseguem.
      Bom te ver por aqui. Abraço.

      Excluir
  2. N adianta fingir que tudo edtá bem , vc pode até enganar os outros ,mas n a si mesma. Eu sinto um vazio diferente ,digo é um vazio mental, onde entra um ar na minha cabeça,me deixando aérea, sem vontade p nada ,perdida assustada e pensado neste vazio, que acho ser alguma substância química que falta em meu cérebro;nunca houvi nehum relato parecido com o meu....inexplicável ....complexo de sentir, imagine entender!pensamentos compulsivos tomam meu pensamento e penso a todo segundo...será que já morri ....o que significa isto???














    ResponderExcluir
  3. Peço que me responda ,n suporto mais viver assim! Será que vivo???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, acredito que você é a mesma pessoa que conentou acima, certo? Então...eu também sou tomada por pensamentos compulsivos, vários pensamentos que não dá pra controlar apesar de eu tentar. E que vem do nada e levam a lugar nenhum.
      A sensação que vc relata sentir é realmente muito difícil de imaginar, mas vc a explicou mto bem e creio que seja algo muito desesperador...
      Você está viva, isso é fato. Mesmo que tenha dúvidas. Entendo que pareça insuportável e é normal se sentir assim com esse transtorno.
      Você é mais forte do que pensa, e corajosa.
      Abraços e força.

      Excluir
  4. Realmente escrever ajuda bastante a aliviar a dor! Adorei seu texto! Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Acho que eu sou a amiga do meio termo, por ter sumido por tanto tempo. Eu me afastei de tudo e quase todos, pq estava ocupada demais tentando descobrir como conciliar TAG com transtorno bipolar. Ainda não descobri, mas estou menos pior, digamos assim. Eu achava que não tinha ânimo pra escrever e nem conseguia traduzir em palavras o que sentia...
    Mas não me esqueci de vc e agradeço de coração que tenha deixado comentário no meu blog, mesmo eu estando longe. Mas agora retornei ao mundo blogueiro e lendo seus posts fica melhor pra ter assundo pra conversar no zap...
    Abraços pra vc, Mi 💛


    http://nomundodafrancine.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Francine, eu também não esqueci de você!! =) Muita coisa mudou por aqui, inclusive eu, mas o que não muda são meus sentimentos pelas pessoas que eu gosto, e eu me preocupei com você, e sabia, dentro de mim, que você voltaria a escrever! Eu mesma acreditei que nunca mais iria querer escrever novamente, mas aqui estou eu, escrevendo. É assim mesmo, a gente precisa nos dar um tempo. Abraços para você, querida!

      Excluir

Sinta-se a vontade para comentar, apenas não seja grosseiro.
Se quiser me escrever, envie e-mail para blogenlouqueser@gmail.com , mensagens hostis/sem propósito não serão respondidas.

Pesquisar este blog