terça-feira, 8 de agosto de 2017

Carta para borderline #7


Borderline,

Já faz muito tempo que eu não te escrevo, pois não senti necessidade. Estamos chegando cada dia mais perto de um acordo definitivo e isso me deixa muito satisfeita. Quer dizer, eu sempre sei que você está na espreita, que vive em mim, só que agora ocupa um espaço menor. Você me deixa no controle a maior parte do tempo, exceto como agora.

Eu me sinto exposta, vulnerável e feita de boba. É como se nesse momento tivesse uma placa de "idiota" na minha testa. Todo mundo sabe, todo mundo sempre soube. Eu era a única ingenua.

Eu estou sendo tomada pelo vazio, pela raiva incontrolável e mais ainda pela tristeza. Não consigo conceber a ideia de que a pessoa que eu admiro, respeito e gosto demais está se tornando alguém inconstante e não confiável. Você sabe, ele me jurou que nossa amizade era sincera. Era amizade? Era sincero? Eu não sei mais. Eu não sei o que esperar de alguém que, na minha frente age de uma forma, prometendo que irá me ajudar e que o sentimento é recíproco, mas quando estamos distantes existe um longo e doloroso vazio. As vezes, acho que lido com duas pessoas diferentes. As vezes acho que me iludi, delirando.

Sei que tem muita gente feliz por saber que estou assim. Você sabe melhor que eu. É você que ouve todos os cochichos, fofocas e comentários sobre mim. Me dói, mas não me surpreende, que todos eles realmente sejam verdades. As pessoas são incrivelmente cruéis, ou talvez elas tenham razão, e eu sou mesmo muito estranha e devesse me isolar num cantinho.

Border, border, eu nunca me senti tão só. Eu sei, eu sei, já disse isso muitas vezes, mas agora é diferente... Eu consigo controlar tanta coisa que acho que controlei demais e perdi o controle do que você esta fazendo. Só sinto. Dor, tristeza, raiva, tudo sufocado por todas as técnicas que aprendi na terapia. Eu sei que você tá aí no fundo. Eu sei. Sabia enquanto tomava os remédios e sabia enquanto falava com o terapeuta. Você me deu mais espaço, mais autonomia, mas não foi embora.

Você tá aqui nas lágrimas, na dor, na depressão, na bebida... Eu não me machuco mais, eu não entro em crises que me faziam perder o controle e a memória, e só tenho 1 comportamento impulsivo (e não dois),mas eu sei que você controla o vazio, a tristeza e a raiva. Tô sentindo agora, mas sabe...eu te agradeço. Você me avisou que eu me machucaria e eu me machuquei mais do que pensei. Apenas peço que me console, porque agora eu estou em pedaços.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar, apenas não seja grosseiro.
Se quiser me escrever, envie e-mail para blogenlouqueser@gmail.com , mensagens hostis/sem propósito não serão respondidas.

Pesquisar este blog